Qual é a cor do tempo que me resta?

A aurora à frente resplandece,
é um sacro dia novo.
e sempre um dia a mais fornece
Deus, a ti faço essa prece
em canto, e assim, me movo.

se deito, a guarda baixo e deixo
que Ele o mundo escude.
desperto e vejo o mundo em eixo,
os grãos milagres… não me queixo:
tudo em sã saúde.

mas apesar de tempo haver
– a nós foi concedido,
se gasta a vida sem antever
que em hora – e chega – há de morrer,
mesmo sem ter cumprido,

o beijo, a obra, o rito, o amor,
escapa a mocidade.
feliz, que resta ainda cor,
e as uso em termos de escritor,
celeste brevidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s